O maior Portal de Franquias do Brasil!
Home » Todos Conteúdos » Destaques ★ » 7 dicas para fazer um planejamento financeiro sem errar

7 dicas para fazer um planejamento financeiro sem errar

Sumário

Seja para a vida pessoal, seja para os negócios, fazer um planejamento financeiro é essencial. Porém, muitas pessoas sequer sabem por onde começar. Continue lendo esse texto e descubra.

Para início de conversa, o planejamento financeiro costuma ser prioridade dos brasileiros. Em uma pesquisa de 2018, o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) constatou que 58% dos entrevistados dedicam pouco ou nenhum tempo para organizar a vida financeira.

Com a pandemia, a instabilidade econômica se tornou ainda maior. Por isso, mesmo quem não tinha o hábito precisou começar a fazer o planejamento para se livrar das dívidas ou tentar uma nova opção de renda diante do desemprego.

O que é o planejamento financeiro de uma empresa?

O planejamento financeiro é uma das principais partes da estrutura de uma empresa. Assim, ele inclui todas as outras fases do seu crescimento e amadurecimento. Ainda mais em um ambiente tão competitivo como o de negócios.

Dessa forma, para ter um empreendimento saudável e rentável o investidor precisa dominar certos conceitos, como o de gestão financeira. Porém, isso pode ser feito com ajuda de tecnologias e ferramentas simples.

Ou seja, o planejamento financeiro empresarial é um conjunto de estratégias, ações, ferramentas e controles. Assim, se busca compreender, organizar e gerenciar os recursos financeiros de uma empresa. Por fim, para gerar melhores resultados nos ganhos e investimentos.

Então, de forma resumida, em uma empresa você precisa saber o faturamento mensal médio, para poder planejar gastos, despesas e investimentos. Logo, isso auxilia em diversos aspectos para manter a saúde do investimento.

Portanto, o empreendedor tem a noção de quanto dinheiro entra e quanto dinheiro sai. Desse modo, auxilia nas decisões da empresa sobre qual o melhor momento para investir ou diminuir os gastos, por exemplo.

Pessoa empilhando moedas. Ilustração do texto sobre planejamento financeiro.
O planejamento financeiro é fundamental para manter a sua empresa em pleno funcionamento.

No Brasil, dados da pesquisa, feita em 2021, pelo Instituto Axxus, uma startup de tecnologia da Unicamp, apontam resultados preocupantes em relação à vida financeira do brasileiro.

O estudo mostra que 86% dos brasileiros tiveram suas finanças muito prejudicadas devido a crise sanitária atual.

Entre os 2.500 entrevistados de todas as regiões do Brasil que participaram da pesquisa, 76% dizem não saber administrar bem as suas finanças desde o começo da pandemia. Assim, apenas 8% afirmam que estão fazendo uma boa administração dos seus ganhos.

Esses dados apontam que os brasileiros ainda não sabem administrar bem suas finanças, principalmente em tempos de crise. 

Por que é importante planejar as finanças de um negócio?

Como já citado anteriormente, o planejamento financeiro de uma empresa é de extrema importância. Afinal, com um bom planejamento o investidor consegue definir metas com mais precisão. Além de tomar decisões mais assertivas para direcionar seu negócio para o caminho certo.

Também, o empreendedor tem a capacidade de ter uma noção maior das movimentações financeiras da sua empresa. Assim, fica muito mais fácil fazer projeções e possibilitar futuras oportunidades de investimentos.

O investidor também terá noção de quanto dinheiro sai e quanto dinheiro entra no caixa da empresa. Dessa maneira, consegue criar e organizar novas diretrizes para ajudar no crescimento do empreendimento. Tudo isso de forma sustentável, conseguindo evitar problemas financeiros.

Já os imprevistos também podem ser gerenciados de uma melhor forma. Afinal, eles acontecem, mesmo com todo o planejamento. Porém, o planejamento financeiro de uma empresa serve para auxiliar em futuros imprevistos. 

Ou seja, o empreendedor pode guardar reservas e criar uma estratégia para contornar tempos difíceis.

Veja como fazer o planejamento financeiro da sua empresa

1. Entenda os gastos do negócio

Mulheres em uma floricultura analisando um tablet. Imagem do texto sobre planejamento financeiro.
Cada negócio possui gastos específicos.

Os gastos são caracterizados por todas as saídas de dinheiro da empresa. Desse modo, podem ser divididos em diferentes categorias, como gastos em despesas, investimentos e movimentos não operacionais.

Os custos podem ser definidos por estarem diretamente relacionados à produção. Ou seja, são os gastos em atividades finais da empresa. Dessa forma, quanto mais a empresa vende, mais gastos ela tem.

Já as despesas, são os gastos na administração da empresa e sua parte comercial. Embora essas duas questões não colaborem diretamente na geração de novos produtos ou serviços. Porém, esses gastos são responsáveis diretamente pelo objetivo final do negócio.

Os investimentos podem ser definidos como gastos realizados a fim de obter mais receita ou melhorar a imagem da empresa. Ou seja, são os gastos que irão trazer um retorno no futuro, como mais clientes, serviços melhores, entre outros.

Por fim, os gastos não operacionais são aqueles gastos atípicos. Por exemplo, as saídas de dinheiro que não fazem parte da estratégia de negócio da empresa. Podem ser distribuição de lucros, pagamento de empréstimo, entre outros.

2. Faça a previsão de lucros

O lucro pode ser definido como ganho durante uma operação comercial ou exercício de uma atividade econômica.

Ou seja, o dinheiro ganho, descontando todas as despesas, fixas e variáveis. Basicamente, o dinheiro que sobra após as movimentações financeiras em um período da empresa.

De acordo com a Sebrae, o faturamento pode ser definido como a soma dos valores arrecadados por uma empresa na realização da sua atividade comercial. Ou seja, quando vende bens ou presta serviços a terceiros.

Então, para fazer a provisão de lucros o investidor está buscando prever a quantidade de dinheiro que a empresa vai receber em um período previamente determinado através das suas vendas.

Assim, o investidor pode realizar projeções financeiras, de curto, médio e longo prazo. Em seguida, as previsões podem ser feitas a partir do histórico de vendas de anos anteriores, por exemplo. 

Pode constar, além disso, o retorno sobre o investimento esperado para as aplicações feitas no negócio, entre outros.

3. Antecipe diferentes cenários

Uma das vantagens do gerenciamento financeiro de uma empresa é poder projetar o cenário financeiro futuro. Então, para que essa projeção seja possível, é preciso primeiro entender a situação atual. 

Dessa forma, antes do empreendedor se preocupar com a condição futura do seu negócio, é preciso ter um conhecimento assertivo do estado atual do negócio.

Esse entendimento pode ser feito por meio da análise de fluxo de caixa e de demonstrativos de resultados dos períodos mais recentes. Logo, para ser uma análise mais assertiva, é importante ter um intervalo de pelo menos um ano, dependendo da disponibilidade dos dados da empresa.

Depois, o empreendedor parte para a análise dos dados que têm em mãos. Afinal, pode ter momentos pontuais de algum período, como, uma perda significativa, ou um pico de vendas. 

Assim, esses dados são analisados de forma separada em relação à atuação média da empresa. Por fim, é possível ter, com base em dados, uma previsão financeira da situação atual e futura da sua empresa. Desse modo, permitindo ao empreendedor poder projetar os próximos passos do seu negócio.

4. Elabore orçamentos

Calculadora em cima de papel com contas e caneta. Imagem do texto sobre planejamento financeiro.
As franquias já contam com um orçamento previamente definido.

O orçamento é o plano que vai auxiliar a projetar despesas, ganhos, oportunidades de investimento, rentabilidade, entre outros. Assim, é mais fácil estabelecer objetivos realistas, que irão gerar resultados.

A elaboração de um orçamento empresarial é fundamental para um bom planejamento financeiro. Mas isso permite ao empreendedor projetar as receitas e despesas. Por fim, fazer boas escolhas para o seu negócio

Afinal, mesmo tentando evitar burocracias, processos, documentos e organização, são indispensáveis para administrar bem uma empresa.

Dessa forma, como dito, o investidor precisa saber alguns dados básicos. Por exemplo, o fluxo de caixa e o montante que a empresa tem. Também é importante saber quanto é preciso gastar com custos fixos e variáveis. Além de quanto você precisa para alcançar suas metas com a empresa.

Com um bom planejamento orçamentário a empresa vai estar mais preparada para exercer sua melhor forma. Além de ajudar também a passar por desafios e enxergar oportunidades. Permitindo assim, corrigir erros e aproveitar oportunidades.

5. Estabeleça um bom preço para o que você vai oferecer

Outro aspecto essencial para uma boa saúde financeira da empresa é saber precificar seus serviços e produtos de forma adequada. Ou seja, manter o capital de giro positivo e bancar os custos fixos e variáveis.

Porém, a precificação de produtos e serviços de uma empresa se mostra um dos maiores desafios na administração de um negócio.

Assim, para chegar ao preço ideal para a sua empresa, necessita-se de alguns dados em mente. Esses, obtidos por meio do planejamento financeiro.

Por exemplo, todos os custos do negócio, os padrões de mercado, margem de lucro desejada, percepção do valor pelos clientes, entre outros.

Afinal, o melhor valor depende do equilíbrio entre o preço de mercado mais o valor calculado, em relação aos custos e despesas.

Então, o valor precisa cobrir o custo direto do produto ou serviço, somado com as despesas proporcionais. Porém, o valor gerado também deve obter lucro líquido. 

Ou seja, para definir um preço ideal para o produto ou serviço o investidor precisa ter em mente o aspecto externo, o mercadológico e o interno, ou seja, o financeiro.

6. Crie metas

Após todas essas etapas, o empreendedor está preparado para começar a criar metas para o seu negócio. Porém, antes é preciso saber a diferença entre os termos: meta e objetivo.

Embora ambos levem a uma ação, algo a se atingir, eles se diferenciam. Então, existe relação ao que se fazer e como vai fazer. Dessa forma, o objetivo é onde se quer chegar ou o que se quer conquistar. Enquanto a meta é o caminho que o empreendedor percorre para alcançar esse objetivo de fato.

Assim, as metas são um passo importante para alcançar os objetivos. Afinal, os objetivos são mais complexos de ser atingidos devido sua amplitude. Logo, as metas servem justamente para dividir e simplificar esse processo. Ao final, os objetivos ajudam a definir as etapas até atingir as metas propostas.

Mas além disso, as metas podem ser divididas em curto, médio e longo prazo. E para essas serem definidas precisa-se ter um cenário realista para análise e projeção.

7. Liste tudo em uma planilha e/ou software

Tela de um computador com aplicativo de gráficos.
Os softwares e aplicativos podem ser bons aliados.

A utilização de planilhas e softwares para um planejamento financeiro de uma empresa é essencial para a saúde financeira do negócio.

Sendo assim, essas ferramentas irão auxiliar o empreendedor a ter os dados de forma organizada, ajudando até mesmo em prospecções no planejamento. Desse modo, o empreendedor pode consultar todos os dados necessários sempre que precisar, de maneira fácil.

Atualmente, qualquer interessado encontra planilhas e softwares gratuitos na internet. Portanto, para recebê-las é necessário apenas preencher com os dados da sua empresa.

Porém, também existem alguns serviços pagos, nos quais o investidor terá acesso a consultorias e treinamentos, por exemplo.

Além disso, existem diferentes metodologias de planejamento financeiro. Como o ciclo PDCA, da sigla em inglês para planejar (plan), fazer (do), checar (check) e agir (action).

Então, ela permite avaliar permanentemente o ciclo financeiro da empresa. E proporcionando mais tranquilidade para tomar decisões financeiras em relação ao negócio.

Franquia é opção de negócio com planejamento mais simples

Para quem busca abrir o próprio negócio, o planejamento financeiro pode ser uma das partes que mais assusta. Isso porque, são muitos detalhes e o que está em jogo são suas economias e suas finanças.

Neste cenário, uma boa opção pode ser o sistema de franquias. Dessa forma, não é preciso criar um planejamento financeiro, apenas seguir o plano de negócio elaborado pela franqueadora.

Além disso, toda franqueadora disponibiliza, antes da assinatura do contrato, um documento chamado Circular de Oferta de Franquias (COF). Assim, é possível analisar todas as informações sobre o negócio antes de se decidir.

Na COF estão presentes informações que vão lhe ajudar a organizar as suas finanças. Por exemplo: valor de investimento, taxas que devem ser pagas e com qual frequência e o tempo de retorno.

Assim, com essas informações em mente, você pode se organizar melhor. Afinal, você precisa ter reservas para se manter até que seu empreendimento comece a apresentar lucros.

Também vale ressaltar que a franqueadora oferece suporte para você passar o planejamento do papel para a prática. Isso porque, o franqueado realiza um treinamento e conta com materiais e conteúdos gravados que fazem toda a diferença a longo prazo.

Quer saber mais? Então, confira sobre como participar da Feira de Franquia 2022 e entenda como adquirir seu negócio com segurança. 

Agora que você está por dentro do assunto, leia sobre: “Franquias baratas e rentáveis: conheça as melhores opções no Brasil“.

Acompanhe o mercado
A mais lidas hoje