Notícias

Moldura Minuto quer crescer fora do país

Franquia Moldura Minuto

Se o ritmo de redes estrangeiras interessadas em abrir operações no Brasil segue lento, o de franquias brasileiras de olho no exterior tem se apresentado numa crescente. De acordo com uma pesquisa realizada pelo programa de Mestrado e Doutorado em Gestão Internacional da ESPM (PMDGI), em parceria com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), a presença de franquias brasileiras em outros países dobrou nos últimos seis anos. O estudo aponta que hoje já existem 134 redes brasileiras no exterior, 69 a mais do que em 2010.

Já parte dessa pesquisa, com unidades em atividade no Paraguai, Uruguai e Bolívia, a Moldura Minuto começa a traçar planos já de olho em 2018, ano no qual pretende marcar presença também em outros países como Estados Unidos, México, Colômbia, Argentina e Chile. A rede abriu sua primeira unidade no exterior há sete anos, no Paraguai, sendo que essa operação já representa 5% do faturamento atual da franqueadora, que conta com mais de 60 lojas no Brasil.

Para o diretor comercial da empresa, Antônio Viégas, a marca figura entre as principais do segmento, o que facilita na negociação em outros territórios, especialmente onde vivem muitos brasileiros, caso da Flórida (EUA), local por onde a Moldura Minuto deverá iniciar sua expansão na terra do Tio Sam. “A grande maioria dos brasileiros que vivem na Flórida já conhece nossos produtos e serviços. Por isso, acredito que será mais fácil atrair, tanto consumidores, como franqueados. Escolhemos os Estados Unidos para darmos início à nossa presença na América do Norte”, comenta. O modelo piloto deverá ter um investimento total de 350 mil dólares e a expectativa é que o faturamento atinja um valor de 600 mil dólares em um ano.

No Brasil, os principais concorrentes da marca atualmente são Urbans Arts, Arte Própria e FastFrame, sendo que a última fez o caminho inverso, vinda da Inglaterra.

Nova franquia vende hambúrguer em ônibus

Artigo anterior

3S Tecnologia tem como diferencial inovação contínua

Próximo Artigo

Comentários

Comentários não permitidos.