O maior Portal de divulgação de Franquias do Brasil!

Descubra como gerir as finanças para abrir uma franquia sem dores de cabeça

Acesse uma parte específica do artigo

Imagem de uma calculadora preta, um papel branco com números escritos e uma caneta prata. Imagem ilustrativa texto gerir financas abrir franquia.

Descubra como gerir as finanças para abrir uma franquia sem dores de cabeça

Está sem dinheiro? Pois saiba que, se você conseguir gerir suas finanças, pode abrir uma franquia com facilidade. Inclusive, no texto de hoje vamos explicar como se planejar e o que ter em mente ao começar a empreender com franquias. Acompanhe!

Para um número cada vez maior de brasileiros, as franquias têm se apresentado como uma oportunidade de conquistar independência financeira e se tornar um empreendedor de sucesso. 

Advertisement

Os números comprovam esse crescimento, já que a previsão para 2022, é de um crescimento 14,3% no faturamento do setor. A informação é da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Advertisement

Entretanto, para dar o primeiro passo nesse tipo de empreendimento, é necessário se planejar. Com atenção especial para o investimento necessário para abrir e manter a franquia funcionando em seu início. 

Neste artigo, vamos listar dicas preciosas para você se organizar financeiramente, de modo a viabilizar a sua entrada no promissor mercado de franchising. Acompanhe!

Planejamento financeiro para abrir uma franquia

O planejamento financeiro para abrir uma franquia é parecido com aquele necessário para abrir outros modelos de empresa, mas com algumas peculiaridades. 

O franchising possui características próprias, que o tornam altamente atraente para todos que dele participam. Só que elas também implicam um planejamento cuidadoso.

A principal vantagem das franquias é poder aderir a uma rede cuja marca já é conhecida pelos consumidores. Ela auxiliará o franqueado na montagem e condução do negócio, fornecendo suporte logístico, know-how, contatos de fornecedores etc. 

Essa parceria, no entanto, também requer do franqueado que ele se adapte aos padrões exigidos pela rede. Incluindo valores específicos de investimento inicial no negócio.

Mas como se organizar financeiramente para conseguir o investimento inicial para franquia? A seguir, explicaremos como isso é possível.

Saiba o capital necessário para começar

Do ponto de vista financeiro, o primeiro passo é entender quanto será necessário investir na franquia. Não é necessário saber os valores exatos. Até porque, neste momento, o empreendedor ainda estará distante da adesão a uma franquia e da aquisição de infraestrutura necessária ao negócio.

Mas é preciso entender como o investimento para abrir uma franquia é composto. 

Primeiramente, cada rede estabelece um investimento inicial, que pode variar conforme características da região, principalmente. 

Geralmente, o investimento inicial já prevê os gastos com Capital de Giro. Ele diz respeito às despesas regulares do negócio, como aluguel, contas de água e luz, pagamento a fornecedores, salários de colaboradores etc.

Outros custos a serem considerados são: aquisição do ponto de venda, taxas devidas à rede (como taxa de franquia e royalties), treinamento de funcionários e impostos. 

O empreendedor precisa ter em mente que, muito provavelmente, não terá lucro alto nos primeiros meses do negócio. Tudo isso exige um bom planejamento financeiro.

Poupe um pouco a cada mês

Depois de descobrir quanto é necessário para abrir sua franquia, você deverá se planejar financeiramente para adquirir o valor. Avalie os seus rendimentos e o prazo desejado para conseguir abrir a franquia, a fim de estabelecer metas mensais de poupança.

Suas metas de poupança devem ser realistas. É recomendado começar com valores pequenos e aumentá-los gradualmente, conforme você adequa seu orçamento e adquire o hábito de poupar.

A melhor forma de poupar é cortando despesas desnecessárias. Avalie cuidadosamente suas despesas, a fim de encontrar quais podem ser diminuídas ou retiradas do seu orçamento. É preciso manter uma disciplina constante, para não exagerar nos gastos e comprometer sua meta de poupança.

Uma dica é separar o dinheiro da poupança no início de cada mês. Desse modo, você inverterá a lógica: seus gastos é que ficarão dependentes da poupança, e não o contrário.

Separe suas finanças pessoais da poupança da empresa

É fundamental separar as finanças pessoais das finanças da empresa. Essa prática traz uma série de benefícios tanto para o empresário quanto para a organização. Primeiro, evita-se a confusão entre os recursos destinados à vida pessoal e os recursos destinados ao crescimento do negócio.

Por isso, é essencial estabelecer contas bancárias separadas para a empresa e para as despesas pessoais. Dessa forma, é possível ter um controle mais preciso sobre os gastos e receitas de cada área.

Além disso, ter uma conta empresarial facilita o acompanhamento das transações e a prestação de contas às autoridades fiscais.

Inclusive, ao separar as finanças, torna-se mais fácil analisar a saúde financeira da empresa. É possível identificar se o negócio está gerando lucro ou prejuízo, e tomar decisões estratégicas com base nesses dados.

Também fica mais claro o quanto pode ser destinado para investimentos ou reservas de emergência.

Enfim, manter as finanças pessoais e empresariais separadas é uma prática de gestão financeira inteligente. Isso contribui para uma melhor organização, transparência e segurança das informações financeiras.

Além disso, ajuda a evitar problemas futuros, como a mistura de recursos e a dificuldade de identificar os resultados financeiros do negócio.

Portanto, ao iniciar um empreendimento, lembre-se de separar suas finanças pessoais das finanças da empresa.

Estabeleça contas bancárias distintas, faça um planejamento financeiro adequado para cada área e mantenha uma gestão cuidadosa dos recursos. Essa prática trará mais clareza, controle e sucesso para o seu negócio.

Empréstimo: procure opções com taxas baixas

Embora o mais recomendado seja começar com dinheiro próprio, há outras opções financeiras disponíveis. 

É possível conseguir investidores entre amigos e familiares, e também recorrer a um sócio, que poderá ajudar apenas financeiramente ou compartilhando a gestão da empresa. 

Em todos esses casos, é indicado elaborar um bom Plano de Negócios, que demonstre a viabilidade da sua futura franquia.

Outra opção é recorrer a um empréstimo. Nesse caso, é necessário avaliar todos os custos da operação, mas com um olhar especial para a taxa de juros. Exemplos de empréstimos com taxa de juros baixa são:

Lembre-se de considerar os custos com o empréstimo no seu planejamento financeiro.

Mantenha um acompanhamento constante

O planejamento financeiro para abrir uma franquia é um esforço de longo prazo que requer paciência e disciplina. 

Você deve continuar acompanhando o cumprimento das metas estabelecidas e refletir se é preciso modificar as metas futuras. Até porque, os custos para gerir finanças para abrir franquia podem mudar.

Depois que o seu empreendimento finalmente se tornar realidade, o planejamento deverá ser aplicado nas finanças da empresa, que requerem um cuidado especial nesse início. 

Busque manter um diálogo constante com o franqueador, informando problemas, sugestões e desejos.

Busque o retorno no longo prazo

Você muito provavelmente deverá fazer muitos sacrifícios para gerir finanças ao abrir franquia no início. Mesmo assim, deve ter em mente que o investimento realizado pode dar retorno no longo prazo. 

Isso só será possível, no entanto, se o planejamento financeiro for bem realizado e se houver comprometimento constante. Tanto do franqueado, como da rede e dos colaboradores, em oferecer um serviço de qualidade para os seus clientes.

Aproveite as orientações da franqueadora

Para obter sucesso ao investir em uma franquia, é essencial aproveitar as orientações oferecidas pela franqueadora. Primeiro, é importante destacar que a franqueadora possui expertise e conhecimento acumulado sobre o modelo de negócio, o que pode ser extremamente valioso para o franqueado.

Por isso, é fundamental seguir as diretrizes e orientações fornecidas pela franqueadora. Elas podem abranger desde a gestão do estoque e a padronização dos processos até as estratégias de marketing e vendas.

Ao adotar essas orientações, o franqueado se beneficia de práticas já testadas e comprovadas, diminuindo os riscos e aumentando as chances de sucesso.

Inclusive, ao aproveitar as orientações da franqueadora, o franqueado também tem a oportunidade de se beneficiar da experiência de outros franqueados da rede. Muitas franquias promovem encontros, treinamentos e trocas de experiências entre os empreendedores.

Essa interação pode fornecer insights valiosos e permitir que o franqueado aprenda com os erros e acertos dos outros.

Enfim, seguir as orientações da franqueadora é uma estratégia inteligente para maximizar os resultados do negócio. Ao fazer isso, o franqueado se apoia em uma estrutura já consolidada, que oferece suporte e conhecimento para enfrentar os desafios do mercado.

Portanto, ao investir em uma franquia, não deixe de aproveitar as orientações da franqueadora. Esteja aberto a aprender, adaptar-se às diretrizes estabelecidas e aproveitar os recursos disponibilizados.

Dessa forma, você estará construindo uma base sólida para o seu empreendimento e aumentando as chances de alcançar o sucesso no mercado.

Agora que você já sabe tudo isso, está na hora de conhecer opções de como gerir finanças para abrir franquia para investir e lucrar. Basta clicar no botão abaixo!

Este artigo foi escrito pela equipe do Juros Baixos.

Advertisement

Acompanhe o mercado

A mais lidas hoje