Destaques ★Franchising

Como diferenciar franquias ruins das boas opções para abrir um negócio?

Mão masculina segurando a fila de domino caindo e protegendo uma maquete de casa de madeira. Imagem ilustrativa texto franquias ruins

Abrir uma franquia pode ser a chance que você estava sonhando para realizar o sonho de empreender. Porém, existem as franquias ruins que podem transformar a sua caminhada num pesadelo.

É muito comum encontrar pessoas que juntam dinheiro de diferentes maneiras para conseguir empreender e ter o seu próprio negócio. Ao mesmo tempo, uma boa parte desses empresários acabam apostando nas franquias.

Acontece que por mais tentador que esse modelo de negócio seja, existem riscos, menores que algo inaugurado do zero, é verdade. Mas são pontos que, sem a devida atenção, podem resultar na falência.

Advertisement

Para evitar que isso aconteça, preparamos o texto a seguir com todas as dicas para garantir um bom investimento. Acompanhe a leitura!

O que avaliar para não escolher franquias ruins?

Existem alguns pontos fundamentais para identificar franquias ruins. A princípio, é importante destacarmos brevemente como esse modelo de negócio funciona e algumas das suas vantagens.

As franquias funcionam como cópias autorizadas de uma determinada empresa. Dessa forma, ela permite que você possa explorar comercialmente seus produtos e serviços, desde que respeitados os padrões.

Essa padronização é fundamental para que todas as unidades da rede estejam alinhadas com o mesmo propósito.

Dessa forma, independente de onde o consumidor estiver, ele sempre terá a mesma experiência com a marca, fortalecendo ainda mais a sua imagem.

Mas acontece que nem todas as empresas possuem pontos tão bem elaborados e fixados. O que acaba se tornando um grande problema, principalmente quando falamos do modelo mais seguro de empreendimento no Brasil.

Para se ter uma ideia, de acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), apenas 15% das franquias fecham as portas antes de completar 10 anos.

Em contrapartida, a taxa de mortalidade dos negócios abertos do zero é quase cinco vezes maior. O único caminho possível para evitar fazer parte dessas unidades que vão à falência é seguindo nossas dicas.

COF do negócio

Primeiramente, precisamos destacar a Circular de Oferta de Franquia (COF). Esse documento é responsável por apresentar uma série de informações valiosas para você sobre a rede de franquias que está prestes a abrir.

Não à toa, a lei prevê pelo menos 10 dias entre o recebimento da COF e a assinatura do contrato. Ou seja, você terá tempo de sobra para analisar todos os pontos e dados presentes.

Caso queira, consulte um advogado para auxiliar você nesse processo. Mas lembre-se, o documento deve estar numa linguagem simples, de fácil compreensão, com todas as informações bem claras e condizentes com a realidade da marca.

Você poderá estudar as pendências judiciais da franqueadora, a descrição completa do negócio, todas as características dos modelos oferecidos, o perfil do franqueado que a marca espera etc.

Assim, você conseguirá ter uma norte para guiar a sua pesquisa com tranquilidade., conforme vamos apresentando nossas demais dicas.

Reconhecimento da marca

Vemos vários blocos de madeira com desenho de loja espalhados e um em vermelho com gráfico subindo (imagem ilustrativa). Texto: franquias ruins.
Conhecer a solidez da franqueadora é fundamental para a sua pesquisa.

Dentro da COF, você tem acesso ao histórico da marca. Ou seja, será possível conhecer um pouco mais sobre a história e todo o know-how que ela adquiriu ao longo dos anos.

Com base nisso, para que você tenha uma visão menos enraizada da empresa, é importante fazer uma pesquisa detalhada sobre ela. Busque por artigos e matérias que falam sobre a empresa.

Em caso de dúvidas, busque por um representante comercial. O mais importante é que tudo esteja o mais claro possível. Qualquer informação em desacordo com a Circular pode ser sinal de uma das franquias ruins para investir.

Ao mesmo tempo, dentro da linha do tempo que conseguir montar, tente encontrar pontos que garantam a expertise da marca. Em algum momento ela precisou mudar seu produto ou serviço? Ela consegue se adequar às realidades do mercado?

São perguntas simples, mas capazes de revelar a verdadeira face da franqueadora. Na maioria das vezes, ficar parado no tempo é um péssimo sinal.

Opinião dos franqueados

Outro ponto que pode ajudar você a tomar uma boa decisão é conversar com outros franqueados sobre o negócio. Dentro da Circular, você tem uma relação de todos os empresários que possuem ou possuíam uma unidade da rede.

Certamente, esse é o primeiro momento em que você terá uma opinião totalmente livre sobre o negócio. Ou serão vários elogios com algumas críticas aqui e acolá, ou o contrário, muitas reclamações e alguns falando bem.

Você consegue entrar em contato com todos eles, uma vez que essas informações estarão presentes no documento. Mas atenção, nem todos vão querer falar com você, mas não se preocupe com isso.

Para aqueles que toparem a conversa, se prepare para fazer perguntas pertinentes e que esclareçam questões realmente importantes para o seu entendimento do negócio. É fundamental que saiba se tudo que é prometido é entregue.

Assim, queira respostas que vão além do “sim” ou do “não”. Além disso, evite debates com os franqueados. Lembre-se que eles sabem da realidade do negócio, enquanto você tem apenas uma opinião pré-formada.

Opinião dos consumidores sobre a empresa

Outro ponto que não podemos deixar de fora, que também dará um norte para você definir se está entre as franquias ruins ou não, é saber como o público enxerga a franqueadora, bem como seus produtos ou serviços.

Existem diversas formas para fazer isso. Por exemplo, nada impede você de sair na rua fazendo uma entrevista para saber quem conhece ou não a marca, se gosta ou não dela etc. Porém, existem maneiras mais eficientes.

Inicialmente, ir até as redes sociais da franqueadora e demais unidades é um grande achado. Veja as reclamações, os temas abordados, a frequência; se é algo muito comprometer e qualquer outra questão que achar relevante.

Mesmo em uma empresa maravilhosa, sempre haverá reclamações. Sendo assim, o importante é identificar se é algo que irá prejudicar você e a sua unidade.

Por exemplo, se em várias postagens, em diferentes perfis, há críticas em relação ao atendimento, talvez você possa ter problemas no futuro.

Além disso, há o portal “Reclame Aqui”. Nesse espaço, as pessoas apontam suas experiências negativas com determinadas empresas. Lá é possível ver como essas solicitações são atendidas pelas marcas.

Inclusive, existe um prêmio anual para as empresas que melhor resolvem os problemas. Se possível, confira se ela já foi premiada.

Suportes oferecidos pela franqueadora

Se tem algo capaz de tornar as franquias um investimento seguro é a oferta de suporte. Graças a esse atendimento, qualquer pessoa, mesmo que sem experiência, consegue transformar a sua vida com o empreendedorismo.

São diversas atividades e treinamentos que visam passar para você todo o conhecimento que a marca adquiriu ao longo dos anos. É nesse momento que o plano de negócios é compartilhado com você.

Tudo que vai guiar a sua unidade pelos próximos anos depende muito do nível de suporte que a franqueadora vai oferecer. Estamos falando, inclusive, de uma obrigatoriedade prevista em lei.

Agora, da mesma forma que isso pode alavancar os seus resultados, também pode levar você à falência. Aproveite a oportunidade e busque entender como o suporte funciona com os franqueados que você conseguir conversar.

Mercado do negócio

Por fim, mas não menos importante, você tem que estudar o mercado em que a franqueadora está inserida. Abrir um negócio não pode ser algo de momento, tem que ter uma visão de longo prazo.

Alinhado com tudo que você viu até aqui, busque compreender se está prestes a investir numa moda ou em algo realmente efetivo, que tem futuro no mercado. Lembre-se das paletas mexicanas.

Quantas franquias não foram abertas oferecendo esse produto, que foi febre durante um ou dois anos? Agora, é um negócio praticamente morto, com resultados baixíssimos e pouco apelo popular.

A única forma de evitar que você corra esse risco é analisando e fazendo todas as pesquisas possíveis. Mais uma vez, caso veja que a franqueadora possui um pensamento fechado, que não busca inovações, fuja do negócio.

Separamos o vídeo a seguir que resume um pouco sobre os aspectos que apresentamos ao longo do conteúdo. Confira!

Diante de todos esses aspectos que apresentamos, fica muito mais fácil encontrar um empreendimento que realmente valha a pena para você. Porém, é necessário ter tempo e empenho para não entrar numa cilada, Bino.

Gostou do nosso texto sobre as franquias ruins e como evitá-las? Continue com a gente e leia um artigo para iniciar sua jornada empreendedora: “21 microfranquias para você começar seu negócio próprio”.

Franquias de ensino: 8 melhores opções para você investir

Artigo anterior

Investimento em franquia vale REALMENTE a pena? Saiba tudo!

Próximo Artigo

Comentários

Comentários não permitidos.