Franchising

Franquias de chocolate devem lucrar na Páscoa

franquia prawer chocolates

Na década de 1970, Tim Maia registrou em uma de suas canções mais conhecidas que não trocava por nada, nem por chá, café ou guaraná, o chocolate. “Me liguei no chocolate, só quero chocolate” era uma das frases enfatizadas na música, que só poderia ser intitulada “Chocolate”. A verdade mesmo é que ele não é o único verdadeiro fã do derivado de cacau. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab), o Brasil ocupa a quinta posição no ranking mundial entre os maiores produtores de chocolate, registrando um consumo anual de 2,5 quilos por habitante.

Um dos produtos que mais atraem consumidores de todas as idades, o chocolate é, sem dúvida, um daqueles que, em determinadas datas, obtêm alta significativa nas vendas. A crise econômica que afeta o país nos últimos anos reduziu o poder de compra dos consumidores, mas parece que não desanimou a indústria de chocolate, que aposta suas fichas em números positivos, principalmente nas vendas da Páscoa. Ainda de acordo com a Abicab, a expectativa é que as vendas se mantenham no patamar de 2017, quando foi registrada alta de 8% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Para atrair o público

Com números favoráveis, as redes de franquias especializadas na comercialização de chocolates devem aproveitar a data para aumentar os ganhos. Para ter um faturamento 20% maior nas vendas de chocolate durante a Páscoa, em comparação ao ano passado, a rede de franquias Cacau Show aposta no lançamento de 14 produtos para atrair mais consumidores. Ao longo de 2017, a marca teve um faturamento de 3,3 bilhões de reais, sendo que, para este ano, a expectativa é que os números sejam 25% maiores.

Detentor das marcas Kopenhagen e Chocolates Brasil Cacau, o Grupo CRM vai produzir mais de 3,5 milhões de ovos, além de 31 novidades divididas entre ambas as bandeiras. Empregando mais de mil trabalhadores temporários, a meta da companhia para este ano é fazer com que as vendas sejam 10% maiores em comparação ao mesmo período de 2017.

Planejando ter um faturamento 20% superior em comparação à última Páscoa, a franquia Chocolateria Brasileira precisou repensar a estratégia de marketing para atrair novos consumidores. Para atingir o objetivo, a marca repensou o mix de produtos que são oferecidos aos clientes, que passaram a ter novos sabores e embalagens.

Escolhendo uma rede

Para Mércia Machado Vergili, consultora de franchising do Grupo Soares Pereira & Papera, apostar as fichas numa franquia do segmento de chocolates é trabalhar com um produto agradável, que atende a expectativa do cliente sem grande complexidade no processo de venda. “Para que uma loja de chocolates tenha sucesso, precisa estar em um ponto com fluxo alto de pessoas e bem estruturadas para serem atrativas. Algumas franquias podem ter loja de rua ou shopping, podem ser lojas pequenas, dando maior opção de investimento ao franqueado. Investir em chocolate é um bom negócio”, avalia.

Quem está interessado em fazer parte do mercado e investir numa franquia de chocolates deve estudar o mercado, os concorrentes, além de observar a qualidade do produto oferecido pela rede. “Quando falamos de negócios e investimento, não podemos falar em garantia de sucesso. Uma loja de chocolates é mais fácil de administrar do que outros negócios, como, por exemplo, restaurante ou prestação de serviços. São muitas opções de franquias nesta área, mas existem diferenças consideráveis em valores de investimento, o que pode ser um fator de decisão. Outra questão é escolher o modelo de franquia que mais lhe agrada, pois muitas vezes temos maior empatia com o processo de franquia de uma marca do que de outra”, pondera Mércia.

Conheça algumas redes de franquias especializadas em chocolate.

Chiquinho Sorvetes inaugura quiosques nos EUA

Artigo anterior

Modismo nas franquias: como resistir e crescer?

Próximo Artigo

Comentários

Comentários não permitidos.