Created by potrace 1.15, written by Peter Selinger 2001-2017

Franchising na crise: é possível ter sucesso mesmo em tempos difíceis?


Amanda Sales | 24 jan 2022
Franchising na crise: é possível ter sucesso mesmo em tempos difíceis?

Investir ou não em franchising na crise? Essa é a pergunta que muitos se fazem desde o início da pandemia. Por isso, continue lendo para descobrir se é possível ter sucesso mesmo em tempos difíceis.

Além da crise sanitária, a pandemia também instaurou um cenário de instabilidade econômica. Assim, de acordo com a Rede Clima do Governo Federal, o Brasil vai sentir os impactos econômicos da Covid-19 até 2045.

Embora a estimativa seja assustadora, alguns números do franchising na crise mostram uma luz no fim do túnel. Confira a seguir!

Advertisement

Números do franchising na crise da pandemia

Para começo de conversa, a pandemia afetou as mais diversas áreas da economia no mundo inteiro. No Brasil não foi diferente.

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 75 mil lojas fecharam as portas ao longo de 2020. Além disso, 98,9% desses comércios eram de micro e pequenas empresas.

Quando se fala de franchising, 2020 também foi um ano difícil. Isso porque, o setor fechou no vermelho e o saldo entre franquias abertas e fechadas foi de -2,6% segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Porém, entre 2020 e 2021 o setor de franchising começou a apresentar uma recuperação. Dessa forma, no terceiro trimestre de 2021, o saldo entre franquias fechadas e abertas foi de 2,3%.

Além disso, no mesmo período, o faturamento do setor chegou a R$ 47,3 bilhões. Dessa forma, o valor alcança o mesmo número de 2019, antes da pandemia.

Sendo assim, é possível observar que, em um ano, o franchising na crise se adaptou e se estabilizou. Uma das razões é o fato de que as redes de franquias são formas de investimento mais seguras.

Logo, o franqueado trabalha em cima de um plano de negócio pronto e pode recorrer à franqueadora sempre que precisar. Além disso, não precisa posicionar a marca no mercado, pois isso já foi feito.

Pessoa checando planilha de dados. Ilustração do texto sobre franchising na crise.
O franchising é uma boa opção para investir pois oferece um plano de negócio pronto.

5 opções de franquias para ganhar dinheiro mesmo na crise

Agora que você já viu os números do franchising na crise e observou a recuperação do setor, confira as opções de franquia para ganhar dinheiro mesmo com a crise.

1. Acquazero

A Acquazero é um bom exemplo de empreendimento que desenvolveu durante a crise. Isso porque, a marca registrou crescimento de 153% ao longo de 2020.

Além disso,  a franquia chegou a 800 unidades no Brasil, Estados Unidos, República Dominicana e México. O sucesso da rede é resultado de um modelo de negócio amplo.

Desse modo, as franquias Acquazero contam com uma série de serviços. Por exemplo: limpeza ecológica, polimento, impermeabilização, vitrificação, revitalização de plásticos e muito mais. Então, os franqueados têm a segurança de contar com uma série de suportes oferecidos pela marca.

Sendo assim, o franqueado recebe consultoria em todas as etapas, incluindo a escolha do melhor ponto comercial. Em seguida, a franqueadora organiza treinamentos técnicos e administrativos.

Portanto, os franqueados têm acesso aos treinamentos de forma irrestrita. Por isso, basta assinar o contrato e obter quando quiser.  

E tem mais! Todos os franqueados contam com um aplicativo e site próprios. Depois, os clientes podem contratar os serviços de forma on-line.

Também vale ressaltar o suporte de marketing. Assim, por meio de uma equipe especializada, a franqueadora produz e disponibiliza materiais para os franqueados divulgarem a marca.

Então, a junção de uma empresa sustentável e tecnológica com todo o suporte oferecido aos franqueados resultou em sucesso. São muitos casos, no Brasil e no exterior.

Mas já que estamos abordando a crise, vamos falar sobre o franqueado Alexandre Oliveira. Primeiramente, ele optou por uma franquia Acquazero no modelo home office.

O sucesso foi tanto, que ele abriu uma unidade em um shopping de sua cidade, Belém.

Advertisement

Para saber tudo sobre a marca, assista ao vídeo abaixo!

  • Investimento inicial: a partir de R$ 23 mil
  • Faturamento médio mensal: R$ 20 mil
  • Prazo de retorno: de 3 a 24 meses

2. Quisto Corretora de Seguros

Para quem busca um segmento em ascensão e um modelo de negócio flexível, a Quisto é uma boa opção. A marca atua desde 2012 e conta com mais de 100 unidades.

De modo geral, o setor de seguros tem apresentado bons resultados. Assim, a previsão é de que o segmento cresça 8% em 2021, no comparativo com 2020.

Os dados são da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg).

Logo, o empreendedor que escolher a Quisto tem a segurança de um mercado promissor. Além do mais, a empresa tem a melhor comissão do mercado, chegando até a 250%.

Sendo assim, os franqueados podem oferecer uma série de serviços diversificados. Por exemplo: financiamento de automóveis, crédito consignado, empréstimo com garantia de imóvel, financiamento imobiliário e muito mais.

A empresa atende tanto pessoa física como pessoa jurídica. Desse modo, a carteira de clientes de cada unidade é ampla. Então, é possível oferecer serviços avulsos, o que aumenta a margem de lucro.

O franqueado recebe acompanhamento constante da marca como: suporte administrativo, projeto financeiro e mercadológico.

Em seguida, é possível resolver problemas e tirar dúvidas. Também vale ressaltar o apoio da franqueadora com o marketing.

Porém, um dos principais atrativos da Quisto Corretora de Seguros é a possibilidade de trabalhar sem barreiras geográficas. Isso porque, o empreendedor pode escolher entre ter o espaço físico ou atuar em casa.

A opção de ter uma corretora de seguros sem sair de casa tem chamado a atenção. A Quisto foi destaque no Portal Segs pela expansão no sul do país por meio do modelo home office, simples de manter.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 21 mil
  • Faturamento médio mensal: R$ 50 mil
  • Prazo de retorno: de 6 a 18 meses

3. Pede.ai

Pessoa de bicicleta fazendo entrega de aplicativo. Ilustração do texto sobre franchising na crise.
Food service cresceu na pandemia, inclusive o delivery.

Durante a pandemia, a necessidade de distanciamento social fez com que as pessoas buscassem mais vezes o delivery. Dessa forma, a startup Mobilis estima que a entrega de comida faturou 187% a mais em dezembro de 2020.

A pandemia também teve impacto no setor de franchising. De acordo com a ABF, no acumulado dos 12 meses de 2021, o segmento de Food Service (que inclui o delivery de comida) teve uma variação positiva de 7,9%.

Neste cenário, pode ser um bom negócio investir em franquias de entrega de comida via aplicativo. Ainda mais quando se trata de um dos dez aplicativos de delivery mais usados no Brasil.

Esse é o Pede.ai. Embora pareça comum, seu foco é nas cidades de pequeno e médio porte, que muitas vezes não são atendidas pelos demais aplicativos.

Assim, o interessado em representar a marca Pede.ai vai se tornar um licenciado. Ou seja, a rede passa a atuar junto com um empreendedor local para implantar o sistema na cidade.

Em seguida, o licenciado aprende sobre os aspectos comercial, de marketing e de desenvolvimento. Além disso, a franqueadora oferece suporte diário às marcas e usuários do aplicativo.

Por isso, o licenciado tem um trabalho simples. Isso porque, ele precisa realizar a prospecção de clientes em sua região. Já os restaurantes interessados, recebem incentivos como taxas baixas para entregarem por meio do aplicativo.

Por fim, é possível trabalhar de casa, sem tempo mínimo de dedicação e sem uma equipe.

Atualmente, o aplicativo atende 170 cidades. Além do delivery de restaurantes, a marca oferece ainda entregas de gás, água, bebidas, mercados, farmácias, pet shops e muito mais.

Advertisement
  • Investimento inicial: a partir de R$ 5 mil
  • Faturamento médio mensal: R$ 2 mil
  • Prazo de retorno: a partir de 6 meses

4. Mazze

A Mazze é uma boa opção de investimento no franchising na crise para quem quer trabalhar com Moda e Beleza. Além disso, é uma franquia que permite atuação no estilo home office com apenas duas horas diárias de dedicação.

Assim, a Mazze pode ser uma forma de complemento de renda ou mesmo ser renda principal. A marca surgiu em 2013, e com o sucesso do modelo de negócio, se expandiu em 2019 e virou uma franquia.

Dessa forma, surgiu o modelo de franquia on-line da Mazze de Semi Joias. E atualmente já possui mais de 180 unidades e representantes.

Além do mais, a Mazze está inserida em um setor de franchising que apresenta bom crescimento com a pandemia. Segundo a ABF, o segmento de Moda fechou 2021 com uma variação positiva de 7,2% no faturamento.

Também vale destacar que o franqueado não precisa investir em estoque e se preocupar com a entrega do produto para os clientes. Isso porque, a própria franqueadora cuida da separação e logística de cada pedido.

Portanto, o franqueado também terá kits consignados para pronta entrega, que podem ser pagos após a realização da venda.

Quem escolher a franquia on-line Mazze, terá um site personalizado e os produtos já cadastrados no catálogo. Também terá o suporte da empresa e a metodologia de vendas.

Desse modo, o investidor que optar pela Mazze terá uma marca exclusiva, de baixo investimento e de fácil abertura. Além de ter custo fixo baixo e consultoria gratuita.

Por fim, realiza-se o treinamento, onde o franqueado terá acesso às metodologias e práticas de venda, desenvolvidas exclusivamente pela Mazze.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 9 mil
  • Faturamento médio mensal: R$ 5 mil
  • Prazo de retorno: de 12 a 24 meses

5. Brasil Nutri Shop

Pílulas em mesa em pote aberta. Ilustração do texto sobre franchising na crise.
O negócio pode ser desenvolvido em casa, sem horário fixo.

Outro setor que cresceu durante a pandemia foi a venda de suplementos alimentares. Isso é consequência de uma preocupação maior com a saúde.

Assim, em 2020, o faturamento das vendas de suplementos cresceu 48% em relação ao ano anterior. Os dados são da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais (ABIAD).

Logo, a pesquisa mostrou também que 72% dos entrevistados passaram a se alimentar melhor. Dessa forma, observa-se uma brecha para vendas mesmo na crise.

Neste cenário, vender suplementos alimentares pode ser um bom nicho de mercado. Ainda mais quando se trata de vendas on-line, no formato home based.

Atualmente, a Brasil Nutri Shop é a maior rede de franquias no setor de suplementos alimentares e produtos fitness da América Latina. A marca conta com diversos atrativos para os empreendedores. Dessa maneira, é possível trabalhar de casa.

Isso porque, os franqueados realizam as vendas de produtos por meio do e-commerce. Portanto, não é preciso ter um estoque e a própria marca realiza as entregas.

O franqueado também tem a opção de personalizar o site. Por ser um modelo de negócio totalmente digital, não há tempo mínimo de dedicação.

Também vale destacar o suporte de marketing. Desse modo, a franqueadora produz conteúdos exclusivos semanalmente e disponibiliza para que os franqueados divulguem as suas unidades.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 10,9 mil
  • Faturamento médio mensal: R$ 5 mil
  • Prazo de retorno: entre 12 e 24 meses

Agora que você sabe sobre o assunto, gostou desse conteúdo e quer investir no franchising na crise? Então, continue lendo: Qual a franquia perfeita para o seu perfil? Saiba como escolher!

*Informações publicadas em JANEIRO/2022. Os preços das franquias podem sofrer atualizações. Informe-se com a franqueadora da marca.

Advertisement

Acompanhe o Mercado

As Mais Lidas