O maior Portal de Franquias do Brasil!
Home » Todos Conteúdos » Para Empreender » 7 passos de como montar uma franquia para lucrar com a rede

7 passos de como montar uma franquia para lucrar com a rede

Sumário

O mercado de franchising vem se consolidando e muitas empresas estão de olho em como montar uma franquia e expandir a sua marca.

Nesse sentido, como o segmento tem se mostrado seguro, o número de empreendedores que desejam investir neste modelo de negócio só aumenta. Com um faturamento de mais de R$ 185 bilhões em 2021, este mercado está em alta e por isso, é bem atrativo.

Mas o investidor deve buscar por marcas sólidas e, do mesmo modo, as empresas precisam montar uma franquia atrativa. Para isso, é necessário passar por um processo de formatação de franquia, como mostraremos. Continue a leitura!

Saiba como montar uma franquia com passos simples

Até a marca se tornar uma franquia e ficar disponível para investidores adquirirem unidades da empresa, há todo um processo.

Sendo assim, este processo precisa ser bem realizado para que a franquia surja como boa opção de investimento. Logo, que também seja atrativa para os empreendedores.

Para isso, a marca deve passar por um processo de formatação de franquia. Nele, existem resumidamente sete passos para operacionalizar essa mudança para o modelo de franquia.

1. Faça a análise de franqueabilidade

Franquear a marca tem sido a ambição de muitos empreendedores. Porém, não é todo tipo de negócio que possibilita essa transformação.

Alguns modelos só funcionam com uma sede central, com processos produtivos únicos e de difícil replicação. Outros se tornam onerosos demais para serem replicados.

Por conta disso, antes da marca se lançar como uma franquia, precisa analisar a possibilidade de franqueabilidade do seu negócio. Então, trata-se de uma autoanálise do negócio, observando como está internamente e como se insere no mercado.

Este processo deve averiguar se todo o modus operandi da empresa pode ser copiado para unidades espalhadas em diferentes pontos. Mas permitindo que seja mantido seus aspectos originais.

Da mesma forma, esta análise atestará se a empresa tem know-how aplicável em modelos de franquias. Além disso, avaliar se os produtos ou serviços são interessantes para o mercado.

Este estudo inicial também é uma forma de averiguar o potencial da empresa. Ou seja, observar os gargalos na produção para buscar formas mais eficientes e baratas de realizar os processos.

Nesse sentido, esse estudo também deve observar se você consegue apresentar um diferencial para os empreendedores. Isso porque, não adianta formatar a franquia se será apenas mais uma. Ou seja, sem um chamativo. Isso tornará mais difícil o seu processo de expansão.

De acordo com a complexidade do negócio, vale a pena contar com uma empresa especializada em formatação de franquias para verificar esta franqueabilidade. Logo, orientará o processo de maneira mais eficaz e direta, além de evitar equívocos que podem gerar prejuízos mais a frente.

2. Realize ajustes para rentabilização

Como dito, ao fazer a análise de franqueabilidade, a empresa deve observar seus processos internos. Com isso, atestar se podem ou não ser objetos de um modelo de franquia.

Nessa etapa de ajustes, a empresa deverá fazer alguns de seus processos para torná-los mais baratos e eficientes. Assim as coisas ficam mais atrativas para novos franqueados da marca.

Dessa forma, o processo de produção precisa ser protegido, para evitar que a propriedade intelectual da empresa seja usada por terceiros de fora da franquia. Há formas de patentear marcas, modos de fazer, entre outros pontos do negócio.

Este ajuste também pode ser feito por contratos de exclusividade com fornecedores. Além de diminuir os custos, pode impedir que a concorrência copie o processo.

Como resultado, o negócio se torna cada vez mais atrativo. Isso porque, os empreendedores terão maior segurança para investir em um negócio inovador e com pouca concorrência.

Do mesmo modo, a empresa deve ter um plano de negócio para orientar suas ações de expansão. Nesse sentido, com a busca de novos franqueados, vem a entrada de capital para a empresa.

Assim, com esses ajustes em todo o processo de produção, a empresa pode oferecer uma lucratividade atrativa para os investidores. Já quanto mais conseguir enxugar gastos desnecessários, melhor para vender o modelo de franquia.

3. Entenda a viabilidade financeira do negócio

Depois da análise e da organização dos processos para montar uma franquia, a empresa precisa entender a viabilidade financeira do negócio.

Esse modelo é atrativo para novos investidores? Terão um bom retorno com uma unidade da marca? A lucratividade vale a pena? Tudo isso precisa ser respondido de maneira a tornar o negócio mais atraente para novos empreendedores.

Esses produtos ou serviços têm potencial de venda em todas as regiões, ou será melhor focar em determinados locais? Pois alguns itens são muito regionalizados para uma expansão nacional.

Sendo assim, é importante observar também o público-alvo. Ou seja, se os produtos ou serviços das unidades de franquias têm capacidade de chegar até eles com um preço adequado. Ou se o modelo de franquia pode vir a diversificar a clientela e melhorar as vendas por outro lado.

A viabilidade do negócio também passa por observar a concorrência, como a nova franquia pode fazer para se sobressair no mercado. Isso pode ser via preço, qualidade ou custo-benefício.

Tudo isso vai impactar na rentabilidade do negócio e nos atrativos que a unidade franqueada terá para atrair investidores.

4. Estabeleça os documentos legais

Assim como toda empresa, para montar uma franquia você também precisa fazer toda a organização legal do negócio.

Enquanto a empresa passa por todas as etapas anteriores para oferecer um modelo de franquia, todos os detalhes dos processos de produção da marca devem ser protegidos.

Dessa forma, buscar proteção legal para inovações e informações privilegiadas sobre a marca é um dos passos para uma empresa virar franquia.

Isso porque, seu conhecimento deixará os muros da empresa e chegará a várias unidades, muitas bem distante da sede. Este conhecimento é um bem valioso não só no mercado de franchising.

Além da proteção intelectual, a empresa deve se regularizar burocraticamente e também montar sua Circular de Oferta de Franquias (COF). Este documento deve conter uma série de informações para os interessados na franquia.

A COF, de acordo com a Lei de Franquias (Lei nº 13.966/19), deve conter o balanço financeiro da empresa e os direitos e deveres das partes. Além disso, precisa constar no documento todas as taxas e valores a serem cobrados de cada unidade durante a vigência do contrato.

Deve vir uma minuta do contrato de franquia para que o empreendedor possa analisar com calma o documento e o Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE).

Enfim, tudo isso é uma forma de segurança jurídica para as partes, que  ainda estão em negociação, antes de bater o martelo.

5. Crie manuais para padronização

As franquias são modelos de negócios replicáveis em que cada unidade precisa seguir um padrão estabelecido por sua matriz. Ou seja, o modo de produção ou os serviços devem ser iguais em toda a rede. Para isso, a franqueadora precisa ter manuais que expliquem o modo de fazer da marca.

Esses manuais devem ser produzidos durante o processo de formatação de franquia, com todo o passo a passo para orientar os franqueados de maneira clara. Portanto, todos os processos operacionais devem ser documentados. Muitas franquias recorrem também a vídeos para esta etapa.

A transmissão do know-how deve ser eficiente para que todos desenvolvam os trabalhos de maneira uniforme. Até porque, esta padronização é importante para o fortalecimento da marca junto ao seu público.

Dentro desses manuais de padronização, o empreendedor também deve fazer um plano de negócios da franquia. Nele precisa conter o caminho que a rede pretende seguir, valores, lucratividade, entre diversos pontos.

Em seguida, o plano irá guiar os novos franqueados, mostrando como funciona o mercado no qual irão atuar e suas características Apresenta também detalhes sobre a parte financeira do negócio, como o prazo de retorno do capital investido.

Enfim, o plano de negócios é importante e deve ser bem organizado e claro, para mostrar aos franqueados o caminho a seguir e ter sucesso.

6. Desenvolva os treinamentos para franqueados

Além de toda a informação que precisa ser repassada para os franqueados, alguns modos de produção necessitam de um treinamento mais específico. A empresa que se torna uma franquia deve ter material suficiente para treinar bem os empreendedores de suas novas unidades.

Muitos dos empreendedores são inexperientes para trabalhar com este modelo de negócio, ou sequer entendem do ramo. Dessa forma, a rede deve treinar o franqueado para que possa desenvolver bem o trabalho.

Estes treinamentos mantém os colaboradores sempre atualizados com novas técnicas, mais eficientes ou baratas. Da mesma maneira, as franquias de alguns nichos de serviços também atuam treinando seus franqueados com técnicas de venda e tratamento com os clientes.

Estes conhecimentos repassados pela franqueadora não apenas ajudam o franqueado, como fortalecem o trabalho de cada unidade, impactando no seu reconhecimento.

Todo este treinamento costuma estar incluso no investimento inicial do franqueado. Por fim, esta informação costuma ficar disponível no portal do franqueado da rede.

7. Faça marketing para expansão

Já diziam alguns sábios: “a propaganda é a alma do negócio”. Já com as franquias não é diferente, principalmente em um momento de expansão da marca.

Então, ao montar uma franquia, a empresa deve investir no marketing para familiarizar seus clientes com esta nova etapa da empresa. Da mesma forma, esta é uma maneira de aguçar o espírito empreendedor dos investidores.

Mas antes de inaugurar a primeira unidade franqueada, a empresa já deve deixar seu público a par do novo momento. Logo, precisa reforçar que a qualidade vai continuar a mesma e, quem sabe, até melhorar.

Do mesmo modo, o marketing é importante para conseguir entrar em regiões novas e aumentar o reconhecimento da marca.

Este trabalho deve ser pensado para diferentes meios de comunicação. Atualmente, a internet é o meio mais eficiente. As mídias sociais e sites especializados, como o da Associação Brasileira de Franchising (ABF), são importantes plataformas de marketing de franquia.

Igualmente, são meios mais baratos, o que facilita o crescimento de franquias menores, com investimento inicial mais em conta.

O empreendedor deve planejar o marketing em conjunto com o seu projeto de expansão. Nele, analisa-se, por exemplo, em que região focar, qual o tipo de franqueado busca, pois é necessário ter um perfil ideal e muito mais.

Esta expansão em um primeiro momento pode demandar um marketing mais voltado para locais perto da matriz e depois ir se ampliando. Além disso, pode ser interessante buscar um perfil de franqueado neste início e depois ir se desenvolvendo e evoluindo.

Consultoria para montar uma franquia

O caminho para montar uma franquia é longo. Porém, o empreendedor precisa seguir estes passos para formatar um modelo de negócio seguro e interessante para os investidores.

Para fazer esta formatação de forma ainda mais eficiente, o empreendedor pode contar com a ajuda de empresas especializadas neste processo.

A empresa pode orientar sobre as etapas que muitas vezes podem exigir uma certa expertise. Seja para analisar o mercado como um todo, bem como a maneira como a sua empresa irá atuar frente aos concorrentes.

Conforme mencionado, é importante ter um plano de negócios para a sua empresa e também para as novas unidades de franquia. Este planejamento é um ponto fundamental e a consultoria pode orientar para a produção dele.

Outro fator bastante importante que a consultoria pode auxiliar é na definição do perfil dos franqueados. Com a experiência no mercado, pode indicar que tipo de empreendedor buscar neste primeiro momento para expandir sua marca. Até porque, esses parceiros precisam agregar e atuar de maneira sólida.

Do mesmo modo, a consultoria pode ajudar você a não se equivocar, planejar bem seu projeto de expansão e de marketing. São pontos fundamentais para que a sua franquia possa entrar neste concorrido mercado.

Além disso, a consultoria consegue apresentar se este é o momento mais promissor para sua empresa entrar para o franchising ou se deve esperar. Pode ser que alguns pontos do negócio precisem de uma melhor adaptação para que a franquia seja atrativa.

Enfim, com uma boa orientação, você evita queimar etapas, fortalece sua empresa primeiro e depois dá este importante passo para o franchising. Com este cuidado, aumenta-se muito as suas chances de ter um negócio atrativo e assim, expandir sua marca pelo mercado.

Acompanhe o mercado
A mais lidas hoje