Notícias

10 franquias para fazer a alegria da criançada e faturar

Franquia-Ri-Happy

Se você leva jeito com crianças, então o que acha de investir num modelo de negócio que ofereça algum produto ou serviço ao público infantil? Basta uma simples análise no universo de franquias que é possível encontrar redes especializadas em atender os pequenos e, certamente, alguma marca pode ter o perfil que procura. São diversas as alternativas de negócios oferecidos para quem quer apostar suas fichas: de roupas a calçados, de ensino a recreação, de guloseimas a brinquedos.

Embora pequenas, pode apostar: as crianças têm grande influência no orçamento familiar. A maioria das redes optam na venda de roupas, calçados e brinquedos para atrair os consumidores, mas também há empresas com modelo de negócio voltado para a educação – ensino de idiomas ou no reforço escolar – e também buffet de festas de aniversário.

Mesmo com uma economia fragilizada, a produção de moda infantil, por exemplo, parece pouco se abalar com a situação. Dados da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest) divulgados no primeiro semestre deste ano revelam que o setor cresceu 6% em 2016, enquanto que a produção de peças para adultos teve queda de 9,8% no mesmo período.

Mas, se o interesse for por marcas do ramo de brinquedos, os números também são bem animadores. Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (ABRINQ), o setor almeja um crescimento de 10% até o final deste ano. Somente em 2016, a indústria teve um faturamento de 6 bilhões de reais, sendo pouco mais da metade responsável pela produção nacional. Ainda de acordo com a entidade, São Paulo encabeça o ranking de cidades com maior porcentual de vendas de brinquedos, com 33% do montante comercializado em todo o país, seguido por Rio de Janeiro (9,8%), Minas Gerais (8,3%), Santa Catarina (6,6%) e Paraná (6%).

Aproveitar o crescimento de alguns setores da economia para investir numa franquia que ofereça produtos ou serviços ao público infantil pode ser uma boa saída para quem deseja ser dono de um negócio. Na avaliação de Allan Comploier, presidente da consultoria Comploier Franchise, as redes que oferecem serviços ou produtos às crianças podem ser consideradas “fortes no franchising nacional”. “O setor infantil passou pela crise de maneira extraordinária e, por isso, acredito que o aumento será ainda maior com a economia nos eixos. Afinal, os compradores são os pais, mas as decisões sobre os produtos ou serviços são das crianças”, avalia o especialista.

Apesar de os números serem atrativos, o consultor faz algumas ponderações que devem ser levadas em consideração antes de assinar o contrato de franquia. “Em geral, as franquias deste segmento possuem alto investimento e nem sempre os números de faturamento apresentados pela marca são atingidos. Por isso, o investidor precisa estar atento e testar os serviços da marca antes de concretizar o negócio, além de conversar com quem já possui unidades em operação para checar se o faturamento apresentado condiz com a realidade”, ressalta Comploier. Ele também acrescenta que um dos desafios do setor é a sazonalidade: “As franquias do segmento, principalmente de brinquedos, devem estar preparadas para superá-la, pois o consumo aumenta em datas especiais (Dia das Crianças e Natal), quando são realizadas cerca de 53% das vendas”.

O Portal TOP Franquias selecionou alguns modelos de franquias voltados às crianças.

Franquia aposta em buffet de sushi a 1 real

Artigo anterior

Chiquinho Sorvetes inaugura quiosques nos EUA

Próximo Artigo

Comentários

Comentários não permitidos.